Saia da proscrastinação

Para que a vida flua, antes de mais nada é preciso vontade. Não adianta sonhar e não fazer nada, seu sonho não vai bater à porta como um milagre. Dê o primeiro passo, pois você é o único responsável pela sua vida, ou seja, não adianta jogar a culpa no vizinho, no cachorro ou no papa, as coisas não andam porque você não anda.

Aquela coisa que sabe que tem que fazer mas não faz, uma grande ideia que fica guardada com você, isso é procrastinação, não sair do lugar. A vida muda de fases constantemente, você também precisa mudar. Se andar a vida toda com o mesmo pensamento, tomando as mesmas atitudes, como quer mudanças? Daí você fala: sempre fiz assim, mas agora não dá mais para ser assim, ponto.

Não dá para acreditar em tudo o que sua mente cria, pois ela também mente. Quantos fantasmas criamos diante de situações que nem existem? Quantos medos nos paralisam porque não acreditarmos em nós mesmos? Tenha coragem e enfrente o desconhecido, lá provavelmente está a porta que tanto sonha em abrir. Na vida é preciso ousar, arriscar, tire as suas amarras, liberte-se. Só assim saberá a resposta, caso contrário passará a vida sonhando sem jamais realizar

Tenha atitude, a procrastinação não te leva a lugar nenhum.
Sair da zona de conforto, arriscar e acreditar em você é o primeiro passo para alcançar seu sonho

“O que foi que aconteceu com a música popular brasileira” (Rita Lee)

Passamos a ser avaliados por números, seguidores e curtidas. Quem somos, qualidades enquanto pessoa, talento, conhecer o ser humano por trás de uma página, não interessa. Se você tiver milhões de seguidores e ser pop, está pronto para qualquer coisa, por mais ridícula que seja.

A internet nasceu pela evolução do mundo, por mais informação, estar mais próximo. Como que um artista pode ser avaliado por um número? Se tiver tantos seguidores é top, se não, esse não rende milhões. O mundo é capitalista, as pessoas são movidas a dinheiro, status, ego.

Na época dos festivais da TV Record, o artista era exposto ao vivo em rede nacional, davam a cara a tapa, eram vaiados, amados, aplaudidos ou escorraçados dali, mas não desistiam, não tinham números, tinham talento e sempre tinha quem enxergasse o potencial.

Imagina se não tivessem visto Caetano, Gal, Gil, Chico, Elis, Rita Lee, João Gilberto entre tantos outros ícones da nossa música. Investiram, lapidaram e puseram nas rádios, tvs, shows. Hoje querem números, artista pronto, chega, grava e rende milhões para quem só fica atrás dos números da internet.

Nem imaginam o que há por trás de artistas anônimos sem muitos números, porque a internet acabou com a qualidade da nossa música. Música boa, só quem gosta da bossa nova, mpb das antigas é quem sabe o que é de verdade.

Nossos jovens ficaram nas mãos de pessoas gananciosas, que fazem virar sucesso só o que interessa monetariamente, emburreceram, apelaram, ensinam a como não ser nada. Que pena, já dizia Rita Lee, “O que foi que aconteceu com a música popular brasileira”, e olha que nem se pensava em chegar nesse nível, a frase nunca esteve tão atual.