A misteriosa vida   

Quantas vezes você já parou pra pensar o que está fazendo aqui? Às vezes fico pensando o quanto é misteriosa a vida. O desenvolvimento da gravidez já é um enigma, uma célula que se junta ao esperma, e ali tudo começa.

Nasce, cresce, passa por muitas etapas na vida para aprender a viver, e já está tudo preparado. Cada adulto tem a cartilha pronta e só passa as informações adiante, e assim aprendemos o que nos ensinaram. Espera, por que precisamos fazer as mesmas coisas, por que não podemos mudar a forma de pensar que acompanha geração após geração? As coisas não podem mudar?

Alguém precisa parar essa involução, se é sempre igual não tem evolução, são ciclos repetitivos, incansáveis e atrasados. Por isso é necessário parar, mudar as regras para alcançar aquilo que as outras gerações não conseguiram mudar. De tanta repetição, a sociedade carrega crenças que não combinam mais com o mundo atual.

O machismo, por exemplo, só continua porque alimentamos com as diferenças impostas em meninos e meninas; eles podem, elas não podem. Mulher é responsabilizada por tudo de ruim que aconteça com ela; claro, a mulher quer ser estuprada, desrespeitada, preterida no trabalho, no trânsito, na vida. Os homens, ah, eles são assim mesmo.

Ainda temos o preconceito, racismo, homofobia, gordofobia, xenofobia e, resumindo, a ignoranciafobia, a melhor palavra pra definir tudo isso. Então por que não mudar se a ‘evolução’ humana começou há tantos anos?

Daí a gente para pra pensar e se pergunta: O que eu vim fazer aqui? É tão estranho prestar atenção na rua e ver tanta gente circulando e fazendo as mesmas coisas, só são diferentes na aparência, mas não na formação humana. Pra onde vai essa gente? Todo dia fazemos a mesma coisa, sentimos sono, fome, frio, calor, dor, tomamos banho, saímos, voltamos, nada muda.

Somos crianças, jovens, adultos, idosos e, nesses intervalos de tempo, se morre, acaba tudo, e choramos pela perda e voltamos a viver mesmo sem as pessoas. O que é isso? E nada muda? E vamos em busca do quê se nada é nosso? Tanta briga a troco de nada.

Será que tudo isso é um sonho, um instante que passa ou viver é isso mesmo, essa busca incessante por nada e por tudo sem saber quem somos? Será o Universo as flores, os animais, o mar, rios, riachos e montanhas e nós estamos apenas vendo tudo isso? Se parar pra pensar, as únicas criaturas que vão embora e viram pó são os ditos Seres humanos, o resto continua intacto, recebendo os próximos humanos que vêm e vão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s