O prícnicpe caiu do cavalo

O dia que você nasceu o mundo já estava pronto, certo? Alguém te disse que poderia mudar as leis e regras estabelecidas ao longo da sua vida? Fazendo uma reflexão simples, chegamos à conclusão que já estava tudo pronto, como se tivéssemos um manual a seguir, sendo que se ousar a seguir diferente terá que enfrentar uma sociedade que vai te olhar torto, caso não siga as regras da vida. 
 

Imagina só uma mulher que não sonha com o casamento de véu e grinalda, ou mais que isso, quer ser mãe, mas não quer casar. Trabalha, ganha bem, é independente, mas quer viver sozinha, ter liberdade, não sonha com o príncipe encantado. Como assim? Então vamos lá. Abordo esse assunto com total liberdade e respeito por opiniões alheias, mas fala sério, a vida é uma regra de fases, e ai de você não cumprir, te cobram como se fosse obrigado a ser exatamente aquele robô, que durante várias encarnações seguiu as regras como se a vida precisasse passar por fases, como num jogo. 
 

Nasce, cresce, fica grandinho e já começam as cobranças: terminou o Ensino Fundamental, o Ensino Médio, vai fazer Faculdade, qual? Namora? Vai casar? Casou? Quando vem o herdeiro? E o segundo? E não para. Imagina a mulher que não quer casar? Precisa ter coragem e voz para se impor diante de tantas regras que não precisamos seguir. Ser quem se quer ser é uma das tarefas mais difíceis, diante de um mundo que já está pronto quando chegamos. Quebrar regras é desafio, é coragem. 
 

As mulheres, não generalizando, não sonham mais com a carruagem e o príncipe que fará o “Felizes para sempre”. Hoje, as novas mulheres enxergam diferente, ficam anos com a pessoa, ou moram juntos por um tempo, ou cada um no seu quadrado, ou nunca. O casamento é um sonho que está desabando, o bom mesmo é sentir saudade, sentir vontade, sentir, simples assim. O dia a dia acaba com qualquer sonho, enterra, afoga, destrói o sentir. 
 

Se temos o livre arbítrio porque somos escravos de regras? Me refiro a regras a serem seguidas para a nossa evolução enquanto pessoa. Podemos ser um profissional acadêmico ou técnico, ser autônomo ou contratado, casar ou não, namorar ou não, essas regras. Já as de comportamento em sociedade, como respeito, direitos e educação, essas são nossa obrigação enquanto seres humanos, gente, cidadãos. Devemos seguir para uma boa convivência. Podemos e devemos escolher aquilo que se quer, sem ser egocêntrico ou arrogante, sendo apenas você. Fique atento, escolha seu caminho, mas não se esqueça que o outro tem o mesmo direito. Respeite. 

O medo de sentir medo

Eu tenho medo. E você, tem medo ou prefere chamar de cuidado? Mas tem quem tenha medo de falar que tem medo, porque a palavra atrai o medo. Mas, se você entra no avião, senti pânico, pensa que pode cair, sabe Deus quantos quilômetros de distância está do chão, sua frio, passa mal, isso é medo ou receio? É medo! Você passa à noite, sozinho, numa rua deserta, tem medo ou receio? Medo! Aprendeu a dirigir, mas não pega o carro, é medo ou receio? Medo! 

Então por que tem quem diga que não é medo? Não pega bem, é melhor ter receio. De nada adianta trocar a palavra, o sentimento é o mesmo, e sua mente, não mente. Portanto, só deixará de sentir medo quando enfrentar o que te aflige, somente você pode matá-lo. Enquanto isso não acontece, você tem medo! 

E depois de amanhã?

Amanhã pode ser tarde, imagina depois de amanhã. Vai bater o arrependimento, a tristeza; eu devia ter feito, falado, batido, beijado, mas não fiz. Daí vem o “se”; se não fez, não era pra ser feito. Na vida não existe o acaso, existe o certo. Às vezes algo não acontece porque não é para acontecer, não adianta forçar, não seria bom, não te pertence.  

Chega depois de amanhã, e aí sim se conhece a resposta, com mais calma, refletindo e conformando com o resultado, pois não seria positivo. Que bom que me foi tirado, que bom não ter feito, depois do feito, não há o desfeito, é pra sempre. 

Talvez ainda chegue o dia em que os humanos pensem mais antes de agir, assim passará por menos frustrações e arrependimentos por situações que jamais se desfazem quando malfeitas. Uma palavra, um gesto que poderia ser evitado, mas não pensado, pode atrapalhar uma vida inteira. Pense antes de agir, o depois de amanhã pode ser um alívio. 

O tempo não para

A gente corre contra o tempo, e ele não para. Você chora, 

sofre, entra em desespero, mas o tempo não para. Enquanto 

você sofre e chora tem alguém chorando de felicidade, de emoção. 

Outras tantas estão trabalhando, discutindo em reuniões ou tramando 

contra, rindo e falando. E o tempo não para. 

O avião levantando voo, outros aterrissando no destino que alguém queria muito conhecer ou chegando para ver quem fazia anos que não se via. Outros de volta para casa, ou para o trabalho. Os carros passando, buzinando, brigas, batidas, gente correndo de carro e a pé. Mas o tempo não para. 

Gente morrendo, gente nascendo, gente morrendo de emoção, gente morrendo de rir, gente morrendo de medo e de alegria. E você aí chorando, mas o tempo não vai parar para sua dor passar. O mundo tem pressa, a hora passa, os minutos voam e os segundos são instantes. O tempo não para e não tem replay para vir onde errou ou que momento acertou. 

Tudo acontece no mesmo instante que você chorou…